.Eu

.pesquisar

 

.Julho 2011

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
24
25
26
27
28
29
30
31

.Acabado de dizer

. o amor

. Cá por casa é tudo compli...

. Porque viver é mesmo assi...

. Março

. 2011

. PODIA SER DE UM FILME...

. PRENDINHAS DAS BOAS

. A NOSTALGIA DO NATAL

. A VIDA NÃO É FÁCIL...

. BIRRAS... COISA MAI LINDA...

.E já disse tanto...

. Julho 2011

. Março 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

Sexta-feira, 9 de Janeiro de 2009

1 2 3 4 5 6 7 8 9 10....

Pronto.... respira fundo....

 

Ontem cheguei a casa e estive 1.30H a tentar acender a lareira, com a lenha verde que o meu querido marido comprou. Melhor, a mãe dele faz questão de a encomendar ao mesmo senhor que lhe vende a ela, porque é a melhor lenha do mundo. Ele, como é o pastel da mãe, acha que sim, se a mãezinha diz que é, é porque é. 2 toneladas de lenha verde e que não saíram mais baratas porque o senhor se esqueceu de fazer o desconto que faz à mãezinha do menino. Acabei as acendalhas, usei bebidas, azeite, álcool, jornal... e acabei com a minha pequena reserva de paciência. Fiz o jantar a correr, não consegui passar a ferro, o pipoca está constipadinho e pede muito mimo e atenção. Liguei para o marido a perguntar se vinha a caminho e trazia as compras(que era para ter feito no dia antes) onde viriam mais acendalhas. Expliquei-lhe da lareira. Respondeu que não podia fazer nada e ficou mal humorado. Antes de ir para casa passou na mãe para trazer lenha (porque a dela é seca!!!) e quando chegou disse-me que eu já podia acender a lareira... Disse-lhe que na altura não podia, porque estava a dar comida ao menino. Como mais uma vez não foi às compras, não tinha acendalhas. Ficou mais furioso ainda enquanto acendia a lareira. Quando se sentou para jantar perguntei-lhe porque estava irritado, respondeu-me que era por tudo... porque para nós mulheres era tudo muito fácil, que não saia às 5.30h, que ele não arrumou a lenha e mais ninguém arrumou, e que teve que ir à lenha e ainda por cima acender a lareira.

 

Bom. Comecei a aquecer  por dentro e acho que fiquei a milímetros de conter a vontade que tinha de lhe fazer o que nem vou dizer. Limitei-me a repor a verdade. Sim, porque em 4 anos de casado ele arrumou duas vezes a lenha, aliás ajudou-me, uma quando estava grávida e outra este ano, porque o pipoca estava acordado. De resto, grávida, com o pipoca bebé, fui sempre eu, e por vezes com a ajuda da minha mãe. Depois, sou eu que quando chego a casa às 18.00H que todos os dias acendo a lareira. Além disso, não me sento no sofá a ver televisão até à hora do jantar, há um filho para cuidar, o jantar, a sopa dele, a roupa... mas como o menino só chega às 20.00H e tal, não sabe, porque não está lá. Mas tem a lata de dar a entender que eu não faço nenhum... Eu gostava de o deixar com a lida da casa para fazer durante uma única tarde, e a cuidar do filho... sim, porque ele não mexe um dedo para fazer nada com o menino... é logo, "olha aqui o menino para eu fazer isto ou aquilo"... ou "ah, e o menino?? Segura-o aqui..." Não sei como é que eu até cheguei a fazer chichi, comida ou cuidar da roupa com ele ao colo.

 

Enfim, quando eu começo a dizer-lhe estas verdades, de que ele só tem tempo para o que quer, que ele podia muito bem arrumar a lenha, começou a disparatar. Deixou-me a jantar sozinha e foi-se embora para o escritório, onde supostamente nessa noite já não ia... não sem antes me dizer que eu o obrigava a dizer estas coisas!!! Claro que fiquei triste e magoada... e o meu pipoca salvou-me porque pensou que estava a fingir que chorava e veio dar-me beijinhos. Mandei-lhe uma mensagem a dizer mais umas verdades. Respondeu-me depois, mansinho, a dizer que me compreendia, que dizia estas coisas e que depois se arrependia... que quando estava assim eu não devia dizer nada, porque assim ele já não as dizia nem se arrependia. Meu Deus... mas isto é normal??? Ele compreende o quê???

 

 

 

Chegou a casa como se não se tivesse passado nada. Como eu estou magoada, limitei-me a ignorá-lo. De manhã, ficou amuado por eu continuar a ignorá-lo, e ainda me acusou quando o menino caiu de eu o ter enchouriçado com roupa e andar apressada... claro, eram quase 9.00h, tive que ir á rua pôr água nos vidros dos carros que tinham gelo, tirar o carro do Sr. de trás do meu, porque ele insiste em achar que sai mais cedo que eu e não se preocupa em deixá-lo de forma a que eu possa sair... tive de acordar o pipoca que ficou rabugento... enfim, e como eu estava apressada na cozinha e o pipoca no corredor, claro que ele caiu por minha culpa!!!

 

Marido, não fosse eu ser tão eu... não ter tanto medo de que uses o meu menino e os teus pais contra mim... não ter tanta falta de coragem para largar tudo... não ter a vontade que tenho de voltar a ser feliz contigo... e já isto não era assim!!!

 

Chamei-te cobarde e infantil . Não merecias outra coisa. Como as pessoas mudam... como passamos anos a achar que as conhecemos como a palma da nossa mão... és tão homem para tanta coisa, e continuas um miúdo dependente da tua mãezinha e do dinheiro dela. Quando finalmente deixares de ser tão influenciável, SURPRESA!!!!,  já não me tens de corpo e alma! Perdes-me aos bocados, dia a dia, a cada discussão, a cada acusação infundada, a cada falta de reconhecimento.

publicado por Antes assim... às 11:55

link do post | comentar | favorito
14 comentários:
De a 9 de Janeiro de 2009 às 12:48
Nem sei que diga. Realmente há homens que nao o sabem ser.
Beijokinhas e bom fim de semana
De Antes assim... a 9 de Janeiro de 2009 às 13:53
Amiga, disseste tudo!!!

Bom fim de semana para ti também, beijinhos
De maebabada a 9 de Janeiro de 2009 às 15:33
eu gostava de ter qualquer coisa muito inteligente para dizer que resolvesse os vossos problemas num instante, sinceramente que gostava, mas não tenho...eu acho que as vezes as conversas são perigosas porque dizemos coisas e enervamo-nos e acabamos por dizer mais do que queriamos...o meu conselho era escreveres uma historia...no fundo escreveres a tua historia, com calma, paciencia, para não te enervares e não fazeres comentários mais agressivos, simplesmente tentar que ele leia e assim consiga perceber os teus sentimentos... é so uma ideia..

beijocas e um bom fim de semana, as melhoras do pipoca
De Antes assim... a 9 de Janeiro de 2009 às 15:41
Obrigada amiga. Sabes que a tua ideia é uma muito boa ideia... e até já fiz algo do género. Há coisa de um mês escrevi-lhe uma carta de 4 folhas, com muitas verdades. Ele leu, e no fim disse-me que tinha razão e que até tinha gostado. Não é que tivesse mudado alguma coisa, mas pelo menos ficou a saber algumas coisas do que eu sentia. Acho que brevemente sigo o teu conselho e escrevo mesmo tudo!!

Beijinhos, e mais uma vez obrigada
De maebabada a 9 de Janeiro de 2009 às 15:46
ainda bem que gostaste e espero que ajude. Eu se começo a falar de alguma coisa mais "minha" começam logo as lagrimas a aproximar-se...e então torna-se dificil eu falar e alguem ouvir :o)) daí a minha ideia, e depois no calor da discussão dizem-se sempre coisas que nem sentimos...e magoamos sentimentos sem querer e sem necessidade.

Força, virem o barco e rumem para fora do alcance da sogra..eu sei que pode parecer radical, mas ja pensaram em ir viver para + longe dela?
beijocas
De Antes assim... a 9 de Janeiro de 2009 às 16:38
Mais uma vez obrigada amiga. E eu também sou assim, enervo-me e começo logo a chorar... Quanto ao ir viver para longe, é mesmo impensável. Temos uma boa casa, construída em terrenos que eram do meu pai, onde sempre quis viver, tinhamos praticamente tudo para ser felizes... mas mais que isso, ele jamais aceitaria sair dali pela razão de ficarmos mais longe da mãe dele. Havia de ser bonito, amiga... se fosse vender a nossa casa para construir outra, ele alinhava, mas jamais por essa razão da mãe...
Beijinhos
De Cunhadinha a 9 de Janeiro de 2009 às 17:38
Já não sei o q te dizer mais...fogo!!! Haja paciência...muuuiiiiittttaaa paciência!!!
Mas linda, (eu sei q falar é fácil) não podes viver com medo, pq isso acaba por ser "não viver" e olha q tens um bom exemplo msm ao teu lado, né?!
Vais andar smp c medo, infeliz e c um "estranho" junto de ti?! Desculpa a expressão mas c o passar d tempo é nisso q ele se vai tornar, ou, melhor...naquilo em q vocês se vão tornar...vai deixar de haver ligação entre os dois...ainda és nova, não tens q passar por isto td...nem q seja preciso deixá-lo p seres msm FELIZ!!! Sabes q só quero o teu bem, entendes-me?! Eu sei q devia estar a dizer...tenta outra vez, mas...enfim!!!
Não preciso dizer mais nada...acho q me entendes!!!

Beijoquinhas
De Antes assim... a 12 de Janeiro de 2009 às 10:34
Claro que entendo... e como tu me entendes linda...

Beijinhos grandes
De Bicho do Mato a 9 de Janeiro de 2009 às 19:57
ui... onde é que eu já vi isto. Tu ainda consegues contar até 10, eu, depois de 10 anos de vida em comum já nem ao 2 chego.
Eu também tenho uma cara-metade que me dizia que chegava a casa muito tarde e que ao fim-de-semana tinha que descansar e que por isso já fazia muito. Ou seja, pela lógica , eu fazia pouco. Decidi dar-lhe razão... comecei a não fazer jantar, a não lhe tratar da roupa e a não limpar a casa (o que me custou horrores mas teve mesmo que ser), deixei de gritar e passei a levar tudo nas calmas e um dia disse-lhe " se já não me chateio é porque acho que já deixou de valer a pena". Deve-se ter acedido uma luzinha naquela cabeça loura e começou a dividir tarefas "porque andou muitos anos sem ajudar". Descobri que discutir calada e sem reacção o deixava bastante perturbado que era muito mais eficaz. LoooL
De Antes assim... a 12 de Janeiro de 2009 às 10:37
Ora aí está uma bela ideia. Se calhar se deixar a casa desarrumada e a roupa dele por tratar podia ser que abrisse os olhos... mas nem sei, porque quando não tem as camisas ou calças reclama que se farta e dá a entender que não faço porque não quero... enfim, acho que se não fizesse ia dizer que era mesmo por não querer trabalhar, o que pelos visto já acha! isto está dificil!!!
De _^ANGIE^_ a 10 de Janeiro de 2009 às 11:03
Olá minha querida!
Pelo que li, parece-me que vocês estão a atravessar uma crise causada pelo surgimento do vosso filho. Eu sei que ele foi a melhor coisa que vos aconteceu, mas mudou radicalmente a vossa vida. E se tu conseguiste adaptar-te às necessidades dele, porque és mãe e nós estamos programadas para estas coisas, o teu marido quiz continuar com a vidinha descansada de sempre.Comigo tem-se passado o mesmo desde que comecei a viver junta com o meu "namorido". Eles insistem em levar as vidas pacatas e ociosas a que as mães os habituaram e a porcaria a acumular-se e olham para nós como se eles é que arrumassem sempre tudo e nós não fazemos nada. Eu tenho discussões constantes com o A. por causa desse género de assuntos. E sim também me passa pela cabeça mandar tudo ao ar. Mas depois penso! Às vezes é nestes momentos atribulados que se vê o valor e resistência de uma relação. Eu sei que tens o factor sogra que não ajuda nada. E que sogra... Mas tem calma e vÊ primeiro se consegues resolver as coisas. Se ele admite que diz coisa que não sente e que tens razão, só tens é que falar com ele e fazÊ-lo ver que não pode dizer tudo o que lhe dá na gana e que tem de colaborar mais contigo, porque se uma relação se constrói a dois, bas ta uma das partes para destrui-la.
Eu sei que não é fácil. Eu também tenho mais facilidade em exprimir-me através da escrita do que por palavras. Sim, também sou uma chorona mor. Aliás, desde que o meu relógio biológico começou a dar horas estou do pior. Já nem suporto ver filmes de terror, que dantes adorava, e tudo serve para me ocmover. Fico babada a olhar para um bebé, invejo as barrigas das grávidas e aquele ar de felicidade estampado no rosto, mas também sei que é uma viagem sem retorno, para a vidinha mais ou menos descansada que levo.

MAs pronto, o importante é tentares acalmar-te e resolverem isso.

Beijokas
De Antes assim... a 12 de Janeiro de 2009 às 10:59
Obrigada linda... acho que breve vou mesmo escrever um livro ao meu marido... e parce-me que não vai ser fininho!!!! De qualquer forma, ainda bem que tenho o meu pipoca, apesar de realmente, por ele, parte da minha vida se ter tornado num inferno. Mas pronto, os meus momento com o meu filho vão me dando uma força amiga, que jamais pensei gahar, para aguentar tana parvoice. Os nossos filhos são mesmo o melhor do mundo!!

Beijocas
De me a 12 de Janeiro de 2009 às 15:19
Olha amiga os homens são todos muito egoístas e um pouco dependentes da mãezinha que lhes fez as orelhas! É muito comum!

E não consegues pensar em formas inteligentes e sem ser muito nítido de o afastares da mãe ou pelo menos de lhe retirares poder de influência?

Eu pelo menos disso não posso queixar, que o meu nunca deixou a mãe interferir. Não se pode ter tudo!

Beijinho e espero que consigas levar a água ao teu moinho.
De Antes assim... a 13 de Janeiro de 2009 às 09:19
Obrigada amiga!! Afastá-lo da influencia da mãe é mesmo missão impossivel, e que, a acontecer só mesmo por vontade dele... eles têm um amor e uma relação doentia, que se baseia no ciume e no dinheiro. Infelizmente, sei que ele também sofre com isso...

Comentar post

Page copy protected against web site content infringement by Copyscape

.links

.tags

. todas as tags